Ídolo Proibido (Trans-Humanidade)

  • Morgana Taro | Introdução à Gravura

  • Ídolo Proibido (Trans-Humanidade)

    Ídolo Proibido (Trans-Humanidade)

    Ídolo Proibido (Trans-Humanidade)

  • Morgana Taro

  • Nascida em 1999, natural de Governador Valadares, Morgana Taro (ou apenas TARO) é artista e animadora 3D, Musicista e Game designer. Com foco interativo, seu trabalho tende a quebrar as barreiras obra-espectador, de forma a unir o mundo real com o virtual, e criar a familiaridade dentro do desconhecido. Com obras interativas apresentadas na BRING (mostra brasiliense de indie games) e em exposições como a Encruzilhada, sua produção confronta o espectador com situações surreais e por vezes abstratas, gerando a contemplação visual pela intriga e pela vontade, na textura, na cor e no sensorial.


    Ídolo Proibido (Trans-Humanidade)

    Do seio de Lilith, nasceu a mais ambiciosa criatura. Esta criatura frágil, descendente direta da divindade laçou pelo pescoço os males do mundo e fez da terra, e de tua mãe, tua montaria. Esse ser Lógico, Racional, tecnológico, conquistou por meio da ciência sua própria divindade. Com o dom da criação e da destruição, se tornou Deus por tecnologia. O ser virtual, que do seio se nutriu, encapsula a maternidade e sua origem divina, Subjuga a mãe terra pela tecnologia, se torna não mais carne, e sim aço. O divino Tecnológico.O seio de Lilith, fonte da divindade, é matéria prima energética para o novo maquinário tecnológico de sua prole. Onde a humanidade assume nova forma, entre o aço do progresso e a carne de sua origem, o ser fluido se divide dentro da nova carne, na Trans-Humanidade. O ídolo proibido é um símbolo do triunfo da humanidade, mas é, também, um lembrete da culpa humana. Ao erradicar sua progenitora, conquistou sua divindade, e também o seu abandono. Deuses por força própria, sozinhes por ganância.